Sabedoria Prática

Barry Schwarts estuda a conexão entre a economia e a psicologia, oferencendo introspecções interessantes sobre a vida moderna. Atualmente, ele trabalha com Ken Sharpe, estudando Sabedoria.

Abaixo o video dele falando sobre Sabedoria Prática (o seu inglês está em dia?):

Para ajuda, abaixo uma transcrição resumida do vídeo:

Neste vídeo, Barry Schwarts fala da grande insatisfação das pessoas com o sistema sócio-econômico atual e mostra 2 mecanismos de resposta a essa insatisfação que a sociedade impõe para tentar corregir o que está errado.

1-Cria novas regras: mais detalhadas, rigidas e aumentar a vigilância.

-Dar scripts aos professores, de maneira que mesmo que eles não gostem ou não liguem, as crianças tenha educação de qualquer forma.

-Criar regras para que juizes, ao julgar um crime, olhe uma tabela e escolha a sentença que a lei mandar.

-Criar regras para que empresas de cartões de credito não criem taxas abusivas.

2-Criar incentivos: de maneira que a pessoa mais egoísta faça o que você quer que ela faça de maneira a beneficiar os outros.

-Dar bônus aos professores, se os alunos tiverem notas altas em sistemas de avaliação da escola, o professor ganha.

Atualmente, a sociedade e entidades governamentais estão se esguelando (EUA) para encontra um incentivo para as companhias financeiras, de maneira que a crise econômica não ocorra novamente.

Mas não existem e nunca vão existir, por mais complexas, rígidas e detalhadas, regras que nos satisfaçam. Pessoas são espertas, elas tem a capacidades encontrar fissuras nessas regras.

O que é necessário é virtude, caráter e pessoas com vontade de fazer simplesmente o que é certo. O que é necessário é o que Aristóteles chamou de Sabedoria Prática. Sabedoria prática é ter moral para fazer o certo e noção de moral para saber o que é certo. Aristóteles, observando alguns pedreiros em uma construção, viu que eles estavam diante de um problema: a precisavam medir a largura de colunas cilíndricas com a régua*. Mas é dificil medir com a régua reta uma superfície circular.Então criaram uma régua que se curva, o que chamamos de fita metrica ou trena hoje em dia. Isso é sabedoria prática: criar regras flexíveis de maneira que beneficie a todos. Pessoas sabias sabem como e quando dobras as regras, de maneiras a beneficiar o próximo. Curvas as regras apenas em benefício próprio é apenas manipulação de pessoas, não é sabedoria.

O caso de Michael, jovem pai de família que ao perder o emprego, em uma noite que bebeu um pouco aém da conta, comente um assalto com uma arma de brinquedo, roubando US$50,00 e é pego. Ao ser julgado, a juíza Forer (acho que é assim que se escreve) sabe que a lei indica sentença de 24 meses de prisão para assalto. Ela não vê sentido nessa lei porque Michael é um pai responsável, não tem antecedentes criminais e é o único meio de sustento da família. Ela o sentencia 11 meses de prisão, podendo sair de dia para trabalhar e indo dormir na cadeia, a noite, podendo assim sustentar a família. A juíza Forer foi sábia, puniu Michael pelo crime, mas não prejudicou a família dele. Um final feliz, mas o promotor não gostou da sentença e apelou, de acordo com a lei (daquele Estado dos EUA) um assalto a mão armada exige 5 anos de prisão (ele estava como uma arma de brinquedo) e a juíza teve de seguir a lei: condenou Michael a 5 anos de prisão. Após essa sentença, a juíza lagou o cargo. Aí está um exemplo de sabedoria em prática e subversão da sabedoria pelas leis que deveriam nos beneficiar.

Outro exemplo é da Srta. Dowie, é professora em uma escola do Texas e ela e os outros professores ouvem o conselho de um consultor que tentava fazer com que professores aumentassem a mota dos alunos nos testes das escolas (um tipo de ENEM do Texas que avalia a escola). O conselhgo era o seguinte:

“Não perca tempo com os alunos que irão passar, não importa o quanto você se esforce. Não perca tempo com os alunos que não irão passar, não importa o quanto você se esforce. E não perca tempo com alunos que acabaram de ser transferidos e suas notas não irão contar no teste. Focalizem todo o seu tempo apenas nos os alunos na bolha. Os alunos-bolha são aqueles que se você ajudá-los, terão chance de irem bem no teste.”

A Srta. Dowie fica em desespero enquanto colegas concordam com o consultor. Para ela, não foi por isso que ela se tornou professora.

Todos nós precisamos de regras e incentivos para viver, mas o problemas das regras e incentivos é eles desmoralizam a atividade profissional em 2 sentidos: desmoralizam as pessoas e desmoralizam a atividade em si. Isso cria pessoas robóticas, que são apegadas à regras e recompensas.

Se você recompensar uma criança por desenhar, ela pára de ligar para o que desenho e só irá querer saber da recompensa; se você recompensá-las por ler livros, elas não vão querer saber o que há no livro, só o quanto ele é comprido;  se você recompensar professores por altas notas dos alunos, eles para de se importar com educação e só se importarão com preparação para testes.

Se você recompensar médico por fazer vários procedimentos, eles farão mais, se recompensar por fazer menos procedimentos, eles farão menos, mas o que queremos é que eles façam a quantidade certa de procedimentos simplesmente pelos motivos corretos.

Mas em todo esse meio, ainda existem pessoas que encontram o caminho certo, que têm capacidade outrapassar essas regras de maneira sábia.

Professores que seguem o script de aulas mas que sabendo que aquilo não vai ensinar nada, usa o tempo extra para educar de verdade.

O Juiz Robert Russel, que julgou o caso de um veterano, Gary Petingille, rapaz de 23 anos que queria seguir carreira militar, mas um acidente no Iraque criou uma dor nas costas que o obrigou a se aposentar por dispensa médica. Ele estava fazendo uso de maconha para a dor nas costas e não conseguia trabalho de período integral justamente por causa do problema nas costas. Com o 3 filho a caminho, ele começou a vender maconha para pagar as contas e foi pego. O juiz diante desse delito, tinha poucas escolhas se não um bom tempo na prisão, mas ele teve uma alternativa: ele criou uma corte especial, uma corte de veteranos. Ninguém quer que um infrator não violento acabe na prisão. O que a corte de veteranos fazia era julgar cada indivíduo como pessoa, se importam com a pessoa. Hoje existem corte de veteranos em 22 cidades nos EUA.

Existe um banqueiro que incentiva bancos a ajudarem os seus clientes de renda baixa com empréstimos, que darão lucro aos banqueiros, mas que ajudam comunidades das como mortas a se re-erguerem, guiando e assistindo seus clientes.

Existem exemplos assim na medicina: médicos da Harvard, preocupados em mudar o ensino médico atual, que cria profissionais sem empatia ou ética profissional, fazendo com que estudantes acompanhem seus pacientes por um ano inteiro, então os alunosentendem que pacientes não são doenças, não são um amontoado de orgãos, são pessoas vivas e no intuito de ser medico, médicos têm de tratar pessoas vivas, não apenas doença.

Pessoa querem ter o direito de fazer o que é certo, Aristoteles achava que a sabedoria prática era a chave para felicidade e ele estava certo.

Varias pesquisas indicam que a chave para a felicidade está no AMOR e no TRABALHO. Amor: conduzir com sucesso uma relação com quem você se importa mais, com a counidade que você pertence. Trabalho: realizar atividades que têm significado e dêm satisfação. Se você tiver isso, existem poucas coisas entre você e a felicidade.

Para ter amor e trabalho é preciso sabedoria, regras e recompensas não te ensinam como ser um bom amigo, um bom marido, um bom pai ou um bom médico, bom advogado, um bom professor.

Sabedoria é insubstituível, sabedoria prática não é auto-sacrifício, é ajudar as pessoas ajudando a si mesmo.

Publicado em Economia, Psicologia, TED, \Vida moderna | 1 Comentário

Big Brother e o Pão e Circo

Eu ODEIO Big Brother Brasil, mas porque tantas pessoas gostam e perdem tempo com isso?

Odeio

Pão e Circo

No Império Romano, com crescimento urbano, vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, muitos camponeses perderam seus empregos. Essa massa de desempregados migrou para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. Receoso de acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador criou a política do Pão e Circo. Consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma ), onde eram distribuídos alimentos durante os espetáculos de morte. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, se distraindo e diminuindo as chances de revolta.

1ª imagem que me vem a cabeça quando alguém fala "romanos"

Na sociedade moderna acontece essencialmente a mesma coisa, ferramentas de distração são criadas para acalmar o povo e inibir revoltas. Exemplos do Brasil: Carnaval, Big Brother Brasil, Idolos, Fazenda, Natal, escândalos brutais (caso Nardoni, goleiro Bruno, cachorro das enchentes, etc). Se não tivéssemos tudo isso e mais um pouco, tenha certeza, Brasília estaria em chamas agora.

O Carnaval é bem explicíto e praticamente todos sabem que a função dele é distrair mesmo, e é por isso que de todas, é a ÚNICA QUE GOSTO. “É a época do ano que todos gostam de negros e olham com menos preconceitos” diz Uelinton, um amigo de etnia negra. Ele é ritmista de Escola de Samba à mais de 20 anos e conhece bem o carnaval.

Musa

Redução do salário mínimo? Aumento dos impostos? Sei la do que você tá falando.

Big Brother, Idolos, Fazenda, Casa dos Artistas, Fazenda, são todos programas televisivos de curto período sem conteúdo algum, é quase absurdo (p/ mim, pelo menos) QUE ALGUÉM CONSIGA ASSISTIR A ISSO. As telenovelas, da Rede Globo pelo menos, abordam temas pseudo-educativos.

Carnaval + BBB

Sobre o que era esse post mesmo?

E o que raios motiva tanto as pessoas a assistirem o BBB? Pelo que eu consegui ler e pesquisar, 1º é a falta do que fazer: no horário em que passa o BBB, na TV aberta realmente não tem mais nada que distraia tão bem. 2º marketing, simplesmente. 3º a empatia, pessoas comuns que poderiam ser você ou eu, ou seu amigo, vizinho, vivendo um cotidiano com outras pessoas. A diversão é saber o que o telespectador faria no lugar dos participantes, misturado com o prazer de ver o íntimo das pessoas, o Voyeurismo criado pela sensação de proximidade com os personagens.

Mas é tudo script, encenado, cortam várias partes…

Você sabe disso porque foi atrás dessa informação, quem se diverte com isso não se importa muito.

Então esse é o segredo do sucesso do BBB, para quem não tem acesso a TV paga, é o que sobra. E não se engane, Big Brother e Reality Shows são sucesso em 40 países, no mínimo.

Tudo bem você critica o BBB, mas e as outras atrações televisivas? Também não são Pão e Circo?

A Televisão em si é o Pão e Circo, o BBB é apenas uma parte forte disso. Dica: use a sua TV p/ assitir filmes, jogar videogames ou não use, economiza energia. Ou…

Você teria coragem de fazer isso?

Quanto tempo você perde na frente dessa caixinha mágica chamada Televisão? Pense Nisso.

Antes de você comentar sobre dar Ibope à alguém, olha aqui:  http://colunistas.ig.com.br/obutecodanet/2009/07/24/a-duvida-e-como-o-ibope-e-medido-no-brasil/

Fontes:

http://itodas.uol.com.br/estilo/reality-shows-por-que-assistimos-21814.html

Publicado em BBB | 3 Comentários

Bloqueio mental

Sou bombardeado com várias informações úteis (e inúteis também) todo dia, mas em especial, essas 2 últimas semanas tive um bloqueio mental tremendo, aliais, ainda não consigo pensar em nada, pensei em falar da dioxina mas a essa altura do campeonato não interessa mais, não é?

Vou elaborar algo para o dia 20.

Atualização: Não elaborei nada, eu odeio procrastinação, principalmente quando eu faço isso.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Porque a Caralluma foi proibida?

A Caralluma fimbriata é uma planta carnuda (não sei se é um cactus, não arrisco dizer por não achar uma fonte confiável) que seca, pulverizada e encapsulada recentemente fez um sucesso absurdo por prometer emagrecimento, e a ANVISA proibiu.

Imagem que mais achei quando procurei por Caralluma fimbriata no Google Imagens

O proposto mecanismo de ação da Caralluma fimbriata diz que a perda de peso ocorre porque ela possui glicosídeos (e talvez outros compostos secundários) de efeito similar ao hidrixicitrato(HCA), presente na Garcia cambogia, outra planta da India. O HCA inibe uma enzima do nosso corpo chamada citrato liase, envolvida na Síntese de Lipídeos (formação de gordura), impedindo a conversão de citrato em Acetil-Coa que segue a via da síntese de lipídeos.

Ainda como um efeito secundário hipotético, os glicosídeos da C. fimbriata e o HCA inibem nosso apetite por ação no Sistema Nervoso Central.

E porque raios a ANVISA probiu?

A ANVISA proibiu porque ela não testou se nas cápsulas têm a Caralluma fimbriata seca e pulverizada ou pó de rato e também sem esse teste não dá para saber a “potência” do medicamento.

Como assim “potência”?

Vamos lá, com “potência” eu quero dizer quantidade de compostos secundários. Plantas variam esses compostos devia a diferenças de clima, solo, temperatura, tempo de crescimento e vários outros fatores que estimulam ou não a produção deles. Funciona como vinho: varia as características de sabor, cor e odor de acordo com a safra porque cada safra teve condições climáticas diferentes, por tanto, produção de compostos secundários diferentes.

O Divine Shen é produto chinês e com suspeita de ter sibutramina na composição. Sem comentários.

Não é o 1º e nem o último exemplo que pressa em se ganhar dinheiro impede que estudos mais aprofundados sejam realizados antes de lançar um medicamento novo no mercado. Talvez os fabricantes sabiam que medicamentos de emagrecimento são modas passageiras ou tiveram medo de acontecer o que aconteceu com o Rimonabanto (medicamento que emagrecia de verdade, mas causava depressão maior e outros distúrbios psiquiátricos).

Parece que pesquisas só valem a pena mesmo para medicamentos de uso crônico como antineoplásicos, antihipertensivos, cardioativos, imunossupressores, etc.

Referências:

SIMÕES,  C.M.O.  et  al.  Farmacognosia da  Planta  ao  Medicamento, 6ªed. Editora da UFSC e UFRGS Editora. Porto Agre, 2007.

U.S. Food and Drugs Administration

Folha.com

Publicado em Emagrecimento, Medicamentos | Deixe um comentário